Está com alguma dúvida?
Fale comigo no Whatsapp!

O FLÚOR E A CALCIFICAÇÃO DA GLÂNDULA PINEAL

Mais um assunto “polêmico” por aqui, aliás, acho que quase todos entram nessa categoria, mexeu com tradição, cultura enraizada, métodos antigos, já pode ser considerado polêmico.

O assunto de hoje é o flúor, o elemento químico reativo que é considerado o maior aliado na saúde bucal e na luta contra as temidas cáries. Também encontrado em altas taxas na água, solo, ar e muitos produtos industrializados.

Mas se ele é tão positivo porque tanta contradição em cima dele?

Diversos estudos já foram feitos, não só no Brasil como ao redor do mundo, discutindo sobre qual seria a quantidade ideal de flúor na água. Alguns desses estudos afirmam que 1 mg/L já seria altíssimo para ser consumido por um adulto e por exemplo, no Brasil esse número chega até a 1,5 mg/L, sendo um dos países do mundo com índices mais altos.

A necessidade real desse elemento ainda não teve uma conclusão definitiva, profissionais da área também possuem opiniões opostas.

O assunto que quero levantar aqui foge um pouco só questão da saúde física e atinge o âmbito espiritual, porque o flúor é apontado como grande vilão principalmente quando tratamos do assunto glândula pineal. Você já ouvir falar nela? Ela se encontra no nosso ponto entre os olhos, o qual os espiritualizados chamam de “terceiro-olho”, responsável pelo equilíbrio e controle das nossas emoções é um ponto fundamental e sagrado.

E o que o flúor tem a ver com isso? Afirmam que a utilização do flúor calcifica essa glândula.

Achei esse trecho com uma explicação bem completa escrita pelo site do “Correio Braziliense”:

“Glândula pineal — localizada na parte central do cérebro e responsável pelos ciclos circadianos, como o sono, e pelo controle das atividades sexuais e de reprodução. Além da função orgânica, acredita-se que a glândula desempenha papel fundamental na prática da espiritualidade.”

A glândula pineal, também chamada de epífise neural, é uma glândula endócrina pequena, localizada na região central do cérebro. Ela é responsável por secretar a melatonina, hormônio responsável pelo sono. Correntes espiritualistas acreditam que ela funciona como uma espécie de portal ou facilitador da comunicação espiritual. Quanto mais purificada a glândula, mais fácil à comunicação do indivíduo com outras dimensões. Estudos científicos comprovam que o flúor provoca a calcificação da glândula. Quando há excesso da substância química no corpo, ela se aloja no órgão e o calcifica. Por essa razão, muitas pessoas que trabalham com a mediunidade e buscam uma ligação mais próxima com a dimensão espiritual evitam o consumo excessivo dela. 

Sim a glândula pineal fica localizada no nosso “terceiro olho”, para quem acredita em espiritualidade sabe a importância desse ponto do nosso corpo, e para quem não acredita pode se apegar aos fatores físicos.

Ou seja, explicando de maneira simples, a calcificação dessa glândula leva a praticamente a alienação e a desconexão com o universo.

O que é geralmente o que as grandes Indústrias desejam para se manter no topo, estar sempre no controle em um eterno círculo vicioso. Manipular pessoas que permanecem eternamente alienadas, para agirem de maneira robotizada, sem questionar nenhum tipo de comportamento, viciadas em produtos sejam eles alimentícios ou farmacêuticos.

Muitos profissionais defendem o uso do flúor como tratamento imediato de combate as cáries, principalmente em locais carentes pelo Brasil. É claro que essas famílias em estado extremo de desigualdade não terão nem a chance de escolha em utilizar algum produto ou não.

É uma situação extremamente complicada. O que sempre respondo é, se nós que temos acesso ao conhecimento, que temos tudo para mudarmos nossos hábitos, ou pelo menos questiona-los, não iniciarmos essa mudança, quando que essas pessoas menos favorecidas terão a chance de fazer isso?

Enquanto a desigualdade grita em nosso país cabe a nós a missão de nos concretizarmos e mudarmos nossos hábitos para que isso reflita na Indústria e que isso se reverbere até as famílias menos favorecidas.

Nós somos responsáveis por mudanças que no futuro atingirão os demais.

Ah mais uma coisa, também vale lembrar que existem muitos estudos lá fora pesquisando a ligação do flúor e doenças como Autismo e Alzheimer, Câncer e a redução de Q.I.

Então sim, é mais um hábito que precisa muito da nossa atenção e questionamento!

Descubra as soluções para a sua empresa

© 2018. Gilberto Wiesel. Todos os direitos reservados.